Agradecia que respeitasses os direitos de autor e obrigada pela visita até ás profundezas da minha mente e coração, espero que a minha escrita de alguma forma te aqueça a alma.

quarta-feira, 23 de março de 2011

avista-se tempestade

Está maré baixa, ninguém habita a praia que neste momento está suja, poluída, ninguém a limpa. Ninguém limpa o que a está a destruir por dentro, ninguém faz o obséquio de trazer cor aos céus da praia, agora pintados de cinzento com salpicos pretos. A praia não está saudável.
Não há ondas, mas avista-se uma grande tempestade, onde a praia vai ripostar, vai-se manifestar, revoltar até, através de ondas cujo a sua rebentação forte, como forma de descarregar raiva, vai levar consigo toda a areia e poluição, faze-la desparecer por completo (espero eu!)
Uma bandeira azul já calhava bem não?

Sem comentários:

Enviar um comentário